sábado, abril 10

aqui

Partilhar



Aqui o tempo passa devagar, em silêncio, ritmado pela própria tranquilidade do Douro, numa ondulante sinfonia, que se move acobreado a caminho do mar. Daqui, a cidade parece pequena, buliçosa, e ela afinal está tão perto, ansiosa que eu chegue e lhe leve a noite. E é a música da água que cria o silêncio, entre a minha solidão e o final de tarde, entre luzes turvas sonoramente conduzidas ao longo da marginal. As palavras ecoam na minha cabeça como batidas fortes e quentes vindas do coração, reflectem-se coloridas num espelho que encandeia e incendeia o meu pensamento, em tons rosados de um azul profundo. Aqui o silêncio e a tranquilidade imperam voláteis como o aroma quente de um café numa noite de primavera. Aqui no meu Porto de abrigo.




E assim, aqui, deixo a minha pequena participação ao desafio: "Cidades das nossas vidas" que o nosso amigo Carlos lançou há dias no seu Rochedo. Como eu não sou muito viajado já se estava a ver qual seria a minha escolha. Um primaveril fim-de-semana a todos.


7 comentários:

tagskie disse...

hi.. just dropping by here... have a nice day! http://kantahanan.blogspot.com/

Safira disse...

Aí...é muito bonito.

redonda disse...

Vim até aqui pelo link do Crónicas do Rochedo.
Gostei da sua cidade. Agora vou descobrir um pouco mais do seu blog...

maria teresa disse...

Não consegui ver o vídeo, tenho pena.
Mas o texto revela o amor que tem pelo seu Porto de "abrigo".
Abracinho

Teresa disse...

E escolheu muito bem. O Porto é uma cidade lindíssima e com um ambiente muito especial.

Dulce disse...

Foi através do Rochedo (do Carlos), que cheguei a este seu bonito espaço.
Tive o prazer de conhecer seu Porto em minha segunda visita a Portugal e por ai estive por 10 lindos dias. Acredite, senti-me quase em casa.
Linda cidade, bonita sua homenagem a ela.
Um abraço

Dulce

Teté disse...

Ah, esta postagem escapou-me de todo! Mas não há cidade/terra como aquela em que nascemos, crescemos e vivemos... :)

Conheço mal a tua cidade, ainda no ano passado aí estive, mas o tempo esteve tão mau que não demos metade das voltas que gostaríamos. Ficou para uma próxima...

Beijocas!