terça-feira, dezembro 1

manhãs de inverno

Partilhar

Como são doces estes dias de frio, mesmo quando chove. Há mais silêncio mesmo quando o vento bate cortante na janela. Tudo e todos se recolhem e procuram o aconchego de estar mais em casa. Sente-se mais o segredo, olha-se de olhos fechados e conserva-se o calor numa conversa de amor. Sente-se uma delicadeza que vem com a poesia, que vem mais íntima numa voz que fala baixinho. Chega na delicadeza de um beijo. Sente-se mais devagar, talvez para guardar o calor, e prolongam-se em lânguidas e preguiçosas conversas. Está-se em paz. Abraça-se o cobertor e aproveita-se os momentos mornos, na cama ou em qualquer outro lugar, aquece-se a alma que convida a bocejar. Fica-se junto, com um livro, a sonhar, a aquecer os pés. Olha-se mais para dentro, para dentro de nós, dos armários e das gavetas. A vontade que dá bebericar uma quente e relaxante xícara de chocolate, de chá, com uma fatia de bolo ou pão quente com manteiga. Tão simples! E lá fora, do outro da janela, que passem em câmara lenta, nuvens pesadas, frisadas, muito altas, a lembrar os Alpes onde a elegância branca das montanhas é reflectida nos céus. E o céu que se esconde num profundo cinzento é o responsável pela inquietude da vizinhança. Talvez tenham saído para beber um pouco desse sumo de nuvem, desse ar frio, mais fino, mais húmido. E quem sabe se não correm para suas casas para se acovardarem mais no sofá, diante da televisão, encolhidos e tolhidos, cada um ao seu estilo.

Um dia muito feliz mãe e pai. Um grande beijinho.


8 comentários:

Si disse...

Este texto, definitivamente, arranca-me a culpa desta preguiça lânguida. E dá-me motivação para me deixar estar enrolada na manta, com uma chávena de chá nas mãos, a aproveitar bem o calor da cumplicidade, enquanto passeio os olhos pelo sossego do bairro...

Teté disse...

Um texto a raiar o poético, mas a sensação é essa de recolhimento no aconchego do lar... :)

Beijocas e bom feriado para ti e para os teus!

Gata Verde disse...

Um dia fantástico para "visitar" amigos!!

;) beijinhos

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Como já escrevi, devo ter nascido com defeito. Hoje, de regreso a casa, iniciei a visita ao blogobairro e contato que há alguns vizinhos a escrever embalados pela poesia dessas manhãs frias e cinzentas. Não sei porquê, mas não consigo apreciar estes dias, que me provocam grande tristeza. A não ser esporadicamente, quendo entrecortam dias de sol intenso quentes ou, no mínimo, amenos.

FM disse...

Que bom que é dar tempo ao sofá...
Abraço.

Patti disse...

Ah, esta magnífica descrição de sentimentos é a minha cara. Também me sinto óptima com este tempo!
O clima pouca influência no meu estado de espírito, penso que o problema vem de dentro de nós.

avogi disse...

Eu aodro o Porto nesses dias. Embora não viva todos os dias na Invicta adoro quando estou aí e sinto essa melancolia. mas Prefiro o sol da minha terra, as nuvens da minha terra, o calor da minha terra. Mas o Porto tirou-me o que eu mais adoro neste mundo: o meu filho., que por força das circinstâncias da vida foi estudar para o Porto e lá ficou. Mas adoro a cidade e toda a sua envolvencia. Até costumo dizer que o Porto é o meu segundo lar. kisses

Gi disse...

Não gosto de dias cinzentos, frios, húmidos.
Detesto chuva e vento, mesmo que esteja sol.
Não me importo que os dias estejam frios, mas com um céu azul e muito, muito sol ... mesmo que Sol de Inverno.