quarta-feira, dezembro 2

quem sabe um dia

Partilhar

...voltarei a ser criança. Não, não me estou a antecipar a vocês e enviar desde já a minha carta ao Pai Natal! Iria simplesmente fazer umas pesquisas. Iria procurar um mundo diferente, muito diferente, onde as pessoas se lembrariam do que as rodeia, se importariam com o que fazem e pensariam nas outras. Um mundo que poderia ir ainda a tempo de ser melhor. Não quereria um mundo perfeito, não seria exigente ao ponto de querer o impossível. Muitos nem olham para a rua onde moram. A vida que têm já é exigente de mais para reparar nos outros, para cuidar. Eu entendo. Realmente, não ter uns sapatos que combinem com as calças, andar à chuva porque a gasolina está muito cara, não ter que ir trabalhar amanhã porque se está desempregado, estar constantemente a ser lembrado que é velho, não ter sinais exteriores de riqueza para exibir, não são preocupações que ocupam muitas cabecinhas! Muitas pessoas querem apenas o direito à justiça, não pediram uma vida infeliz e de miséria. Muitas pessoas não sabem como sair dali, têm um sorriso triste, um olhar vazio de quem sabe que vai passar o Natal sozinho, tal como os outros dias do ano. Algumas que bateram no fundo da sua condição social, e às vezes humana, homens e mulheres, que já sem condições nem meios tentam pelo mnos manter um resto de dignidade, de coragem e humildade para viver, e nós que seguimos preocupados com as pequeninas aflições mesquinhas do nosso dia-a-dia. Quem sabe um dia voltarei a ser uma criança e com paciência continuarei a procurar um mundo diferente, um mundo que nunca teve vontade de chorar, que nunca derramou algumas lágrimas ao ver o desespero que é não ter o que dar de comer aos seus filhos. Estarei a sonhar muito provavelmente e espero que muitos sonhadores me estejam a ler.


13 comentários:

Vera disse...

Muito bonito. Muito verdadeiro. É por estas razões que o Natal me traz sempre alguma revolta...mas já percebi que é melhor guardá-la para mim...nem toda a gente consegue pensar para além do "ai, sou muito fashion, vou comprar imensos presentes de Natal...".
Gostei muito do teu post :-)

CPrice disse...

Fantástico texto Paulo.
Obrigada

Suzana lux disse...

E aqui está uma sonhadora, que com muita "luta" tem concretizado alguns sonhos, Infeliz ou Felizmente, senti dolorosamente na pele o que aqui descreve, a dor maior foi mesmo em criança, como criança estava limitadissima a agir ou reagir... Hoje "passou" e como não posso mudar o Mundo resolvi muito cedo mudar o meu pequeno MUNDO.
Bateu-me mesmo aqui dentro este seu poste como muitos outros aliás, o lema da minha vida tem sido fazer de tudo para estar e fazer estar bem quem me rodeia, e nao falo so da familia mas sim passo pelos vizinhos e desconhecidos muitas vezes, afinal mesmo esses fazem parte na minha vida...

"Muitas pessoas querem apenas o direito à justiça, não pediram uma vida infeliz e de miséria. Muitas pessoas não sabem como sair dali, têm um sorriso triste, um olhar vazio de quem sabe que vai passar o Natal".

Agradeço-lhe este poste de coração, e por ter esse coração...
Desculpe alongar-me mas haveria mais pra dizer, eu é que não tenho muito geito para a escrita...

Beijinhos a toda a familia que são pessoas cheias de sorte por o terem a seu lado.
Tudo de bom.
;0)))))))))))))))))))))))))))))

Patti disse...

Se todos conseguirmos fazer do nosso pequeno canto, um mundo melhor, ele vai reflectir-se no mundo dos outros.
Belo texto Paulo.

mjf disse...

Olá!
texto emocionante:=)
Todos sonhamos com um Mundo ideal.

Beijocas

Paula Crespo disse...

Em princípio e por definição todos queremos o mesmo. Ou seja, este mesmo. Daí que o Natal, tb por definição, seja tão belo; daí que ele, na realidade, seja tão deprimente e escasso.
Bjs

Teté disse...

E é preciso ser criança para sonhar assim, de olhos abertos? Não me parece...

Mas gostei muito do texto! :)

Beijocas!

Vani disse...

Por falar em sonhar de olhos abertos...ehehehehe...estás convocado para um desafiozinho... :DDDD

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Não sei se gostaria de voltar a ser criança. Tenho quase a certeza que não... mas gostaria de manter a capacidade de sonhar com um mundo melhor.

Ka disse...

Sentido e com sentido este teu texto...

E fazer a diferença não é assim tão dificil, por vezes pode ser apenas dispormos um bocado do nosso tempo.

Beijo

Gi disse...

Apesar de ter sido feliz em criança, não sei se gostaria de o voltar a ser.
Acho que prefiro ser adulta, ter consiciência das coisas e, no meu pequeno mundo, tentar melhorar o mundo de alguém.

Si disse...

Só voltaria a ser criança se isso significasse que os outros também voltariam a sê-lo, e todos, de mente em branco, pudessemos escrever de novo o livro do mundo...

PB disse...

Cinco estrelas... Parabéns pelo fantástico texto.