quarta-feira, novembro 17

duelo ibérico

Partilhar

“En el minuto 36 del amistoso Portugal - España, Cristiano Ronaldo pudo marcar un gol que no sólo hubiera abierto el marcador sino que hubiera pasado a la historia de los mejores goles del astro portugués del Real Madrid. Finalmente la acción se estropeó por la aparición de Nani y la colaboración del árbitro, el francés Antony Gautier.

Cristiano recibió en la banda izquierda, profundizó al área donde sentó a Piqué con un recorte perfecto y después remató con una estética vaselina con escaso ángulo. El balón superó a Casillas e iba camino de ser un gol para enmarcar. Pero apareció Nani y remachó de forma innecesaria el balón bajo palos. El árbitro Gautier señaló un fuera de juego polémico. Por un lado, Nani parecía en posición legal ya que le habilitaba la situación de Piqué, en el suelo. Pero además quedan muchas dudas de si Nani tocó el balón de cabeza sobre la línea o ya dentro de la portería. El gol, por lo tanto, debió servir al marcador. Hubiera sido un golazo extraordinario pero se fue finalmente al limbo.”

Quem o escreve é o diário espanhol Às na sua página da Internet, que prova com esta foto o que me tinha parecido ver na altura. Aquela extraordinária jogada e o sombrero que Ronaldo enfiou ao Casillas foi de lesa pátria ter sido anulado pelo juiz de linha e assim Portugal deveria estar a vencer a Espanha, campeã europeia e mundial, por cinco golos e não por quatro.

Mas que jogo, que partidaço. Um jogo amigável entre as duas nações ibéricas nunca se joga a feijões. Portugal e Espanha unem esforços para organizar em conjunto (!) o Mundial de 2018 ou de 2022. Mas os pupilos de Paulo Bento estão com toda la mobida, deliciando-me as bistas aqui no sofá e arrancando olés do Estádio da Luz, que merecia ter as bancadas mais bem compostas. Uiii... nuestros hermanos estão de cabeza callente e distribuem patadas menos amistosas mas parecem-me já resignados perante tão superior exibição da selecção lusa. E nem importa nada que o jogo não valha um balde de plástico... olha, já acabou!

Temos equipa, cantem o hino, desfraldem as bandeiras... Acalmem a padeira.


7 comentários:

Teté disse...

Pena ter sido a feijões! Mas já ouvi por aí falar na padeira... :)))

ematejoca disse...

A livraria portuense LELLO é também para mim a mais bela do mundo!!!

Queria expressar no "ematejoca azul" a minha GRANDE ALEGRIA de PORTUGAL vencer à Espanha, mas acabei por só mencionar com grande orgulho a "nossa" livraria.

Concordo com a Teté, foi uma pena ter sido a feijões! Mas mesmo assim, foi uma grande bofetada para esses espanhóis arrogantes!!!

Rafeiro Perfumado disse...

Se o objectivo era promover a candidatura, foi alcançado. Um jogo fantástico, bem jogado, sem picardias desnecessárias, um hino ao futebol. E mesmo a brincar, que bem que sabe enfiar quatro batatas nos hermanos!

Abraço!

Gi disse...

Podemos embandeirar em arco?

Kok disse...

Porque é que não ganhámos na África do Sul? Perguntem ao Queiroz!!!
Li este comentário por aí e achei-o uma delicia!
Um bem à portuguesa: ora toma que já almoçaste!
Mesmo sabendo que não há 2 jogos iguais (e as motivações eram outras) não deixa de ter a sua piada!

Akele abraço pah!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Como retaliação, ao regressar hoje a Lisboa, senti-me a chegar ao país basco, depois de um atentado da ETA. Chiça!

Zé do Cão disse...

Na minha juventude os jogos Portugal - Espanha eram realizados com regularidade. Praticamente não haviam outros ou raríssimos. Quando os nossos empatavam, já era motivo de festa. Até que, particular ou não chegamos aos 4-1. Não foi festa, foi festança. Como recordo esse tempo.Estava farto da cantiga revisteira do Parque Mayer " A selecção trabalha como eu quero, agora é que não falha 9-0". O calor da luta esse é igual. Nas patadas sempre as houve e sempre perdemos.
abraço