quarta-feira, outubro 20

.

Partilhar

De partida, e não indo directo ao assunto, não sei se faço sentido ou venha a ter razão. Só quero ter liberdade, soltar a exclamação, enfeitar-me de pérola, doçura ou imaginação. Quase nunca sou protagonista nem sentimentalista. Machista? Ui... também não! Não sou fraco, não me dou sem nó. Às vezes dão voltas e mais voltas e lá acabam por me encontrar. Imaginem a situação! Minimalista? Talvez, se encontrar a "ção". Encerro aqui a história? Queriam, mas nem morto. Se conto ou não conto, pouco importa para a questão. Vejam como vai a minha emoção. Até já estou em ebulição. Sabem o que acontece quando me tentam picar? Fico em cruz, procuro equilíbrio ou interrogação. Pronto, há muito que passei do meu meio e me aproximo agora do final, mas não quero revelar o epílogo da minha história. Misterioso, corto aqui o enredo e saio de fininho… só que alguém comenta: Oh pá, tu és cá um ponto! É um ponto de vista!


7 comentários:

Sandra. disse...

:))

Taum?? q complicação!! vaizadonde keu n entendi??

(tambem são tantas as vezes em q saio de fininho...uiiiiiiiiii)

Besuuuuuuuuuuuuuuuuuuus

paulofski disse...

É mesmo Sandra, por ir a lado nenhum é que cheguei ao ponto que cheguei!

Laura disse...

Ah, já nem estava a perceber. É que agora não dá para irmos a lado nenhum mesmo, nem para lá ehhhhh, ao que chegamos.

Um beijinho da laura

Teté disse...

Estás muito hermético hoje! E para dar a ilusão da escrevinhação, ficamos com o ponto de interrogação?! :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Nem quero imaginar o final da estória... Não sei se terá emoção, mas sem dúvida que no Cul de Sac por onde nos estão a conduzir,teremos razão para dar um empurrão e ajudá-los a cair.

Dono das galinhas disse...

Sair, sim! Mas para onde se todos os caminhos estão "armadilhados" com crises?
Marte é opção??

1 abraço pah!

Gi disse...

Até fiquei em ponto de rebuçado!