sexta-feira, maio 21

é mais uma dose, ó faxabôre!

Partilhar



Lembrei-me de ouvir alguém me dizer que "a época em que vivemos nunca é a melhor das nossas vidas". Muitas vezes, sem darmos conta disso, somos apanhados a comentar certas coisas que nos levam a uma frase comum: ahhh e tal, quando eu era mais novo, fazia e acontecia… Nas nossas atarefadas vidinhas, porque será que só notamos que temos fome quando sentimos o ronco do estômago? Só damos importância a um objecto quando se parte ou pára de funcionar? Só queremos que chova quando a terra está ressequida? Só sentimos saudades de alguém sobretudo quando estamos carentes? Da infância ficou a boa sensação de a ter vivido livre de obrigações e responsabilidades e achar que o mundo é maravilhoso. Da adolescência, o espírito livre de viver cada hora como se fosse o último instante, com a curiosidade natural e a insaciável vontade de aproveitar todos os momentos. O problema é que raramente estamos satisfeitos e porque vamos ficando velhos e ranzinzas, mesmo que não sirva para nada, deveríamos sempre desejar algo mais, deveríamos permanecer insatisfeitos. Não temos de perder tudo, deixar de ser tudo e sofrer por tudo para notar o quão precioso é o amor, a vida, a felicidade, as virtudes que temos e que somos agora.


Atlantis - Summer Of Love

É deste calor que me faz derreter os neurónios, é deve ser disso...!!!

Bom fim-de-semana.



5 comentários:

Kok disse...

Nunca a actual é a melhor época por querermos mais e melhor futuramente.
E não porque "antes é que era bom".
Até porque o bom do antes, foi bom nesse antes, e não porque o fosse obrigatoriamente no hoje.

Akele abraço, pah!

Laura disse...

Bom, para mim a fase do era bom era memso antes.... a vida vai mudando, claro que temos de lutar para gostar de andar por cá...mas no tempo da outra senhora quando havia pai e mãe e a vida funiconava sem termos de nos meter...isso sim, era bom...
Não tinhamos casa para pagar, comida, parece que tudo era perfeito e chegava para tudo também, há, ricos tempos...
Vá lá, há que viver o presente, eu sei, mas até esse por vezes dói!
Abraço apertadinho de bom domingo..laura

Rafeiro Perfumado disse...

Pobre de quem se recusar a aproveitar o presente com esperança que no futuro é que vai ser bom.

Um abraço, e as tuas preces foram ouvidas, o frio e chuva estão quase aí!

Gi disse...

Já tomaste a tua dose de paciência hoje?

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Ando a precisar de dose reforçada. De paciência, porque quanto a calor, ainda não tenho razões de queixa.