terça-feira, maio 1

1 de Maio 2012

Partilhar


Em Abril de 2011, um grupo de cidadãos dinamizou a Escola do Alto da Fontinha, edifício devoluto no Porto, para realizar atividades de cariz artístico, pedagógico e social, prestando serviços gratuitos à comunidade, nomeadamente às crianças do bairro, que ali tinham um espaço seguro para ocupar os tempos livres.

Em 20 de Abril de 2012, depois de um primeiro despejo em Maio de 2011, a Câmara Municipal fechou e entaipou a escola, recorrendo a carga policial de várias dezenas de oficiais e um grupo de bombeiros usados sem conhecimento da situação. Às duas dezenas de pessoas que estavam no edifício juntaram-se milhares na tarde de 25 de Abril.

Às 7h da manhã de 26 de Abril, os polícias voltaram a tomar o local, desta vez partindo as canalizações, entaipando o rés-do-chão e deixando os vãos do primeiro piso abertos às intempéries e à degradação.
O colectivo Es.Col.A. decidiu continuar as suas atividades.

2012@Abrigo| Farol
Texto de Isabel Fernandes Pinto


2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Mais uma prova da canhestrice do Rio

Kok disse...

Podem haver muitas razões legais para justificar (justificar? isto tem acaso alguma justificação?) um acto destes!
Mas não há, seguramente, nenhuma razão moral que o justifique!

Akele abraço, pah!