quarta-feira, dezembro 28

a andar como o caranguejo

Partilhar


(clicar na imagem para aumentar)

Na noite de Natal, enquanto ouvia as palavras do senhor Primeiro Ministro, cerrei os olhos e pensei, "lá estamos nós a andar como o caranguejo". Ao ouvi-lo ditar a nossa sentença... rhmmm, queria dizer, a sua mensagem natalícia, deixei que velhos hábitos entretanto esquecidos nas tradições das nossas aldeias viessem à minha mente e lembrei-me de alguns costumes ancestrais dos nossos avós que deveríamos trazer para o novo ano. A grande maioria dos portugueses terá que se contentar com o que conseguir pôr à mesa. Uma tigela de sopa todos os dias é o garante para um bom sustento. A velha bicicleta a pedais poderá renascer se for bem oleada. De pé descalço e cântaro à cabeça podemos ir à fonte buscar água fresca. Veremos velhas e esquecidas artes a renascer. Poderemos trocar solas e tacões no sapateiro. As calças voltarão ser remendadas nas costureiras. O velho ovo de madeira voltará à vida lusitana para passajar peúgas esburacadas. Sentiremos de novo o perfume no ar da roupa lavada no tanque e estendida no arame. Uma ceia à luz de velas de cera terá outro significado. Deitar cedo e cedo erguer fará o país poupar e renascer. Depois da missa dominical poderemos gozar um passeio a pé pelo jardim da vizinhança e, finalmente, teremos ainda a oportunidade de gozar uns diazitos de férias com o farnel na praia ou no pinhal. Pois é, caros amigos, se isso tudo acontecer seremos felizes e daremos graças pois estaremos vivos.

Pena foi que as palavras do senhor Primeiro Ministro, tão eloquentes de esperança, motivação e encorajamento no esforço de todos para a salvação, não contassem para os emigrantes e os militares em missões no estrangeiro.


5 comentários:

Teté disse...

Alguém, à exceção do caranguejo, gosta de andar para trás? Não, não me parece! E note-se que o PM também não estende as medidas de austeridade aos seus correlegionários... :P

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Bem, Paulo, o caranguejo efectivamente anda para o lado, e não para trás ( pelo menos foi o que li há tempos na revista Nature. A ser verdade, o nosso (deles) primeiro ainda é pior do que o saboroso caranguejo.
Além disso, a valiar pelo discurso, na cabeça deve ter os mesmos ingredientes da lagosta, o que o torna um verdadeiro crustáceo.

ematejoca disse...

OBRIGADA, por não falares na gravata verde, que ainda causou mais irritação nos portugueses do que o seu discurso.
Por isso e por outras, é que o nosso país está assim.

O Carlos tem razão: o caranguejo anda para o lado... e o nosso povo anda para todos os lados.

Nanny disse...

O futuro não parece risnho...

Vim cá para te deixar um beijinho e desejar um Feliz Ano Novo... que 2012 seja um pouco melhor...

Sei Lá!

Nanny disse...

* risonho

sorry