sexta-feira, novembro 11

reposte [14] Zé velhote, o emissário de S. Martinho

Partilhar



Na esquina da praça, o velhote permanece encolhido mais a sua carreta fumarenta, na motorizada. Aguenta horas a fio em pé, ao frio, a vender castanhas. Assim é, pelo menos há mais de cinquenta anos. Pode até ser este o último São Martinho de fuligem colada ao rosto. Passeantes de ocasião, pessoas amigas, as de sempre, fregueses que dele gostam e ternamente o chamam de Zé Velhote, brincam com ele e compram as castanhas que ele tão bem sabe assar. São cada vez menos os clientes mas as minhas castanhas são sempre quentinhas e boas, não tem uma podre, garante enquanto enrola uma página amarela. Uma dúzia não é? Se tivesse em trocos é que era bom! Até esquece as dores nos ossos, das artroses, cada vez que guarda os euros, e sorri percebendo as minhas mãos que aquecem do cartuxo das suas castanhas. Os anos não lhe roubaram o humor mas o fumo do assador enegrece-lhe a face. Ele sabe como agradar, e em cada cartuxo põe uma ou outra a mais. A preocupação com a venda faz com que se levante de madrugada, para ir aos fornecedores, para escolher e retalhar as castanhas. O velho corpo há muito que se ressente da dureza do trabalho. Estava a ver que hoje a motorizada não pegava! Danada ainda me fazia perder o dia! É do frio e está velha como eu. A diaba custa a pegar e já não estou com forças para ela. Sabe, sempre ajuda à minha reforma mesquinha! Sempre é melhor que nada, e assim dá para a conta da farmácia. É vida de pobre, solta, resignado. Não tem pregões porque não gosta de chamar ninguém. Os fregueses ainda vêm, sabem quem eu sou. Muitos conhecem-me bem. Até os turistas gostam de provar as minhas castanhas, murmura enquanto desenferruja algum vocabulário castelhano. Este deve ser o último! Já apanhei muito frio e muita chuva, carreguei muitos carregos. Sinto que já não posso! Vou guardar estas aqui, levo-as para mim e para a minha pinga. Bom São Martinho...

O senhor Zé deixou-me estas para vocês. Sirvam-se faxabôre



4 comentários:

Teté disse...

Nham, nham, obrigada pelas castanhinhas! E pode vir uma cervejinha também, ó fáxabor! (que eu cá não sou de tintóis...)

Diverte-te!

Filoxera disse...

Tão terno, este teu post...
Parabéns, adorei.
Beijos.

Kok disse...

Ora bem!
Castanhas, batatas doces assadas no forno, vinho tinto (preferência minha), e mais umas "coisinhas", está feito o S. Martinho!

Akele abraço pah!

§-excelente texto! (o que não é surpresa).

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Paulo
Na sexta-feira abusei das castanhas e no sábado a minha vesícula estava muito irritada. Mas só de olhar para elas- agora que já estou bem- apetecia-me mesmo tirar uma. Vou conter-me...