sexta-feira, outubro 7

bicicleta com rodinhas

Partilhar

Não será difícil entender o fascínio que uma bicicleta pode exercer no imaginário de uma criança mas, talvez, esse fascínio já não seja exactamente o mesmo de outrora, quando o mundo era mais simples. Quando não oferecia tantos encantos ou tantas opções quanto o de hoje, a era da electrónica e da informática. O próprio brilho dos olhos das crianças talvez já não seja tão inocente, talvez já não tenha a mesma pureza, a mesma ingenuidade. Nada disto, no entanto, impede que uma pequena bicicleta continue a ser um dos presentes mais desejados pelas crianças. O que ficou, isso sim, cada dia mais sério foi pedalar em segurança. Para vermos crianças a pedalar sem receio, em perfeita liberdade, temos de ir aos parques, ciclovias ou mantê-los no pátio de casa, espaços que os automóveis não possam invadir. Em outras épocas, quando as cidades eram mais pequenas, mais livres, em que a vida se organizava na rua do bairro, em torno da vizinhança, a manhã seguinte ao aniversário, à noite de Natal, era o momento de glória exibir a bicicleta nova aos amiguinhos. Relembrar esses dias não é uma mera questão de memória. Essa recordação não deve permanecer na nostalgia mas, ao contrário, devemos fazer dela a motivação que desejamos para os nossos filhos e para as gerações vindouras. É importante apoiar acções que procurem trazer de volta às cidades o encanto de viver nelas como a forma de tornar o sonho de cada criança algo possível. Sonho, aliás, que nunca deixou de ser o nosso, do menino ou da menina que subsistem dentro de nós.


(na foto: ontem, o meu sobrinho David a desembrulhar a sua primeira bicicleta)

6 comentários:

Teté disse...

Ora aí está alegria que nunca tive. E não é que não quisesse ter! Ter uma bicicleta era o sonho de qualquer criança da década de 60. Hoje os putos já sonham com muita coisa... :)

Quanto ao que dizes sobre as cidades se tornarem em espaços mais agradáveis, concordo inteiramente! Mas não passa por abolir todo o trânsito viário e substituir por biclas e ciclovias, obviamente! :)

Bom fim de semana para ti! E parabéns ao teu sobrinho! :D

Almeida (pai) disse...

Como o menino ficou tão feliz.Valeu a pena.penço que no futuro vais ter um companheiro para as tuas caminhadas.
Muitos parabens ao Davide.

Nanda disse...

Tudo na vida se repete.Parece que foi ontem que os teus olhos brilharam de alegria,quando recebes-te a tua primeira bicicleta. Agora a alegria foi repetida nos olhos do neto mais novo.Que felicidade poder assistir a este momento tão alegre.
beijinhos para ti, Rafael e Carla.
Nanda.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

As crianças continuam a sorrir com uma bicicleta, Paulo. É o primeiro meio de locomoção que as faz sentirem-se independentes.
Concordo contigo. É preciso incentivá-las para que chegadas a adultas, continuem a preferi-las aos automóveis, principalmente nas cidades em cujo centro os automóveis deviam ser abolidos.
Bom fds e boas bicicladas

ematejoca disse...

De pequenino se torce o pepino!
Quero dizer, que de pequenino se deve aprender a andar de bicicleta.
Beijinhos ao David.

PS: Tomas Tranströmer é o maior poeta sueco vivo e desde sempre um favorito ao Nobel, só em Portugal é que ele é um desconhecido.

Fiquei muito satisfeita com a escolha, pois desde há 15 anos que nenhum poeta ganhou o Nobel e, já não era sem tempo.

Catarina disse...

Por que há tantas distrações nem sempre a bicicleta é motivo de regozijo para todas as crianças. Uma forma de as incentivar a exercitar é um passeio em família, regularmente, de bicicleta, preferivelmente em parques... e não esquecer o capacete. : )
Bom domingo.