quarta-feira, maio 25

arruada

Partilhar



A caravana de um conduzido partido andava pelas ruas da Invicta. Caras novas, tachitos velhos, carros reluzentes, todos eles cobertos de propaganda eleitoral. Gente eufórica no seu partidismo. Bandeiras ao vento. À sombra, dois cidadãos já com as cabeças descobertas de pêlo e pela aparência com muitos anos de vida, resistência e trabalho, assistem de longe. Trajados com roupas já com algumas visitas de traças no guarda-roupa. Gente de vidas controladas até ao euro. Olham um para o outro e desabafam: “lá vai o nosso rico dinheirinho”. A caravana passa, sorrisos num tom amarelado, “beijoqueiram” e viram para o lado. Fazem lá ideia do que vai na alma do povo. Do que sabem o quanto custa ganhar o pão-nosso-de-cada-dia.


(Foto de Estela Silva / Lusa. O líder do CDS/PP, há uns anos, durante uma arruada na baixa do Porto.)


5 comentários:

Kok disse...

Pergunto-me sempre: porque motivo tenho eu que financiar os partidos políticos?
PorquÊ?
De todas as respostas possíveis só uma me parece plausível:
porque foi aprovado pelos deputados (dos partidos políticos) na A.R.
Pois... financiamentos em causa própria.
Como se não lhes bastasse o "ordenadinho" + ajudas de custo ao fim do mês...
E ajudas de custo para que raio de custos?
Quanto a preocuparem-se com as dificuldades plebeias, ora ora...

Akele abraço pah!

ψ Psimento ψ disse...

O senhor até esteve na minha faculdade acompanhado por todas as personagens mais elitistas lá do sitio. Pessoalmente não o vi e não tive pena nenhuma disso. A minha faculdade tem metro até à porta mas como o senhor não pode misturar-se com os plebeus parece que entrou de carro mesmo até uma parte onde os carros não são supostos ir…
Um abraço.

Rafeiro Perfumado disse...

Tenho é pena dos bebés que os tipos beijam, ainda lhes pegam o vírus da política...

Teté disse...

Este é o tal que costuma ir às feiras e praças beijocar as peixeiras? Coitadas das mulheres... :S

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O Paulinho das feiras este ano tem um concorrente sério nessas visitas... mas depois colgam-se e mandam as feiras à fava.