sexta-feira, novembro 5

é relativo!

Partilhar

Desceu à garagem e pegou na bicicleta para ir trabalhar. Assim evitava ficar sem exercício e deixava o carro em casa, caso a mulher fosse às compras, buscar as crianças, ter que ir a um ou outro encontro que tivesse combinado. Já de saída lembrou-se que agora era um director de departamento. Não que desse muita importância às aparências, mas sabia que as pessoas que mais interessava impressionar desaprovariam vê-lo de fato e gravata a pedalar uma bicicleta de estrada, e se o fizesse teria de enfrentar olhares e comentários corrosivos. Então voltou ao quarto e trocou o fato e a gravata por uma camisola e um calção de licra. A esposa veio da sala e perguntou o que tinha acontecido. “Nada”, respondeu. “É uma pesquisa que estou a fazer sobre a teoria da relatividade aplicada à empresa.” “Que teoria é essa?” “É assim: vou chegar lá cedo, desmontar da bicicleta e, o mais certo, eles ainda não estacionaram os seus carros”. E partiu a pedalar pela manhã de sol, sob o olhar um pouco apreensivo mas muito terno da mulher.


16 comentários:

Gi disse...

Cheira-me a post autobiográfico. :)

paulofski disse...

:) Mais ou menos. Pelo menos a bicla é.

Rafeiro Perfumado disse...

Se fosses trabalhar com calção de licra não dava muito pela tua carreira.

paulofski disse...

Rafeiro, na prática "a minha carreira" é outra teoria!

ematejoca disse...

Quando andava a estudar, Uni de Düsselforf, quem vinha a padelar eram os professores, os estudantes vinham de carro, às vezes até com Mercedes.

A fotografia parece-me ter sido tirada junto ao Campo das Antas. Pode ser?

Cumprimentos à Etielbina!

paulofski disse...

Ematejoca, felizmente são cada vez mais as bicicletas que percorrem as ruas do Porto. O meu filho é um deles que recentemente pedala o percurso de casa à escola.

A fotografia foi tirada no pátio da Casa da Música e lá ao fundo é pode-se ver a Rotunda da Boavista com o seu famoso Monumento aos Heróis da Guerra Peninsular.

A vaidosa a fazer pose é a Gorka mas podia muito bem ser a Etielbina :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Há muitos, muitos anos, quando fui convidado para criar um determinado instituto, tive a ousadia de chegar descontraidamente numa vespa, recusando o carro que me fora atrin«buído. Meia hora depois as minhas orelhas ardiam tanto, que percebi que estavam todos a comentar a figura do sr Director.
Durante uns tempos continuei a fazer o mesmo mas nos primeiros dias de chuva, troquei a Vespa pelos transportes públicos.

PreDatado disse...

Ele que compre umas calcinhas mais quentes para este tempo. E esse calção de lycra não é assim a modos que... Brincadeira hein, gramei o (auto?-)conto

paulofski disse...

Era inveja Carlos, pura inveja.

paulofski disse...

Seja bem vindo PreDatado.

As calças não dão lá muito jeito sabe porque se podem enrolar na corrente, sujar de óleo e assim. Também há a hiopética mola de roupa que se pode por a prender a baínha, mas não, a manhã até que estava bem agradável.

ψ Psimento ψ disse...

Acho que o calção de Lycra é um bocado demais eheh. De qualquer forma isso só demonstra um pouco das mentes reduzidas que temos por cá. Há países não muito longe daqui que seria normalíssimo vermos um homem de fato e gravata na sua bicicleta a ir trabalhar. Isto independentemente do seu estatuto socioeconómico. Por cá somos mais pobres… mas a aparência é que conta.
Abraços

Kok disse...

Porque os valores intelectuais, científicos e/ou morais numa sociedade pelintra, são ainda as aparências o que (mais) "conta".
Serão necessárias gerações para uma real inversão de valores.
Mas, voltando ao post: vais dizer de que cor são os calções de licra ou estarás pensando iniciar um "quiz" entre os teus visitantes?

1 abraço pah!

Laura disse...

Desde que não chova, pedalar é um bom exercicio... Não se atraem garinas, lógico, elas querem carrinho e bem abrigadas, mas, andar de cicla é bem bom.

Beijinho da laura

Teté disse...

Bom, acho que ninguém tem a ver com o meio de transporte usado para chegar ao local de trabalho, mas convenhamos que um chefe de departamento, serviço ou whatever aparecer no emprego de calções de lycra deve dar muito mais que falar! :D

paulofski disse...

Xôres Psimento, Kok e Teté, substituo então a licra por:

Tecido: 82% poliamida + 18% elastano.
Alcohoado (para proteger as partes sensíveis): 61% poliester + 28% poliuretano + 11% algodão.

Licra... Xiça!!!

paulofski disse...

Pois é bom Laurinha, andar de bicicleta tem os seus encantos, pode não atraír garinas mas atrai muitos mosquitos!