sexta-feira, março 12

p.e.c. - porque eu compreendo

Partilhar



Eu compreendo que o nosso país tem-se debatido com a perda de competitividade. Compreendo também que o elevado défice público e as sucessivas crises económicas têm-nos feito recuar na produtividade. O peso da despesa é demasiado elevado para o nível de desenvolvimento do nosso país, e isso é compreensível. Custa a compreender a falta de investimento e o sucessivo agravamento da taxa de desemprego. Por muito que se tapem os pés a cabeça ficará sempre a descoberto. A manta é curta e não dá para tudo. Esta é a nossa realidade e infelizmente não é de agora. Também não é de agora que sinto o mesmo apelo à nossa compreensão e paciência. Impõem… desculpem, pedem-nos o nosso esforço com o congelamento… ai esta cabeça, desculpem, eu queria dizer arrefecimento das expectativas!
Em suma, para fazer face e custear a crise, e que nunca mais tem fim, os poucos direitos que ainda temos vão-se definhando, pecaminosos. Sempre concordei que todos devemos fazer sacrifícios, sim eu disse todos, e como um bom português que me prezo lá me vou desenrascando! Cumpro e exerço cabalmente o meu trabalho, honro as minhas dívidas e pago os meus impostos, como é aliás o dever de qualquer cidadão. Quando à noite deito a minha cabeça no travesseiro eu durmo tranquilo, consciente que servi a Nação e não me servi dela.

Como já li, algures, concordo com a opinião de que o Estado português ainda não aprendeu a viver sob as regras duma união monetária. Não encontro soluções fáceis e a nossa economia continuará nos dias difíceis enquanto o povo for recebendo em escudos o esforço do seu trabalho e a pagar em euros todas as suas despesas. A estabilidade económica deste país é uma ficção e desde a entrada no euro não passa de pura ilusão.
Ora o governo, para novamente recuperar do défice, o económico e o de confiança perante Bruxelas, apresenta-nos um PEC. Diz que é um programa de estabilidade e crescimento mas cá para mim peca sobretudo por ser mais um plano de castidade e emagrecimento! É só para europeu ver. Uma vez mais sinto o apelo ao aperto do cinto, mas caros senhores governantes, notem que há muito que os furos se esgotaram. O povo já foi tão exprimidinho que só lhe resta a pele e os ossos. Ok, eu compreendo mais este aperto na fivela, que se aperte a barriga, mas permitam-me que procure na minha legitimidade de contribuinte e faça a questão fundamental. Gostaria muito de saber o que estes senhores têm andado a fazer com o nosso rico dinheirinho?

Bom fim-de-semana e até breve.


7 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O mais preocupante é que se chegarmos a 2013 com o défice a 3%, teremos um ano mais desafogado e depois volta tudo ao mesmo. Como aconteceu com o PEC anterior...

mjf disse...

Olá!
Eu não vejo luz ao fundo do tunel :=(((
O desânimo e desmotivação está há muito instalado!!!!

Beijocas
bfs

Gi disse...

Continuamos um País Em Curso, nunca mais se forma.

PB disse...

Estava a enviar-te um comment,mas o pc bloqueou quando cliquei, não sei se o recebeste...

Quero pedir desculpa se melindrei o teu sentimento portista. Apenas mencionei os 5-0 como exemplo da inferioridade de Porto em relação a anos anteriores. Não foi em tom de gozo.

Tenho pena que alguns, com o meu primo como expoente maximo, se refugiem em desculpas esfarrapadas para tirar mérito aos outros. Eu não sou assim, deixo-te este link
http://aquelebagacinho.blogspot.com/2009/04/que-pontaria.html

Abraço desportivo e amigo, conto voltar em breve aos blogs que gosto, como o teu.

PS - Escusavas de falar nos 7-0 Lololololol

Kok disse...

Acho que todos os governos que temos tido têm sido formados por gente de muita palavra e poucas obras.
Mas sem nunca se esqueceram dos próprios bolsos.
Pena é que não hajam fórmulas para que sejam responsabilizados por toda a m.... que fizeram.
Com o argumento de "serem penalizados" ao fim de cada 4 anos vão continuando impunemente a serem mediocres.
Acho que merecemos "coisa" melhor.
Akele abraço pah!

§-desejo que a tua "Maria" electrica continui a prestar-te um bom serviço! º_*

Xanda disse...

E o povo mantém-se sereno, "todos comem e calam", todos assistimos no camarote a esta "palhaçada" de governo que temos em Portugal e nada fazemos.
Sou alérgica a política loool, sério que sou, embora não deixe de expressar o meu voto quando há eleições, é n/ dever fazê-lo, pq se não o fizermos depois também não devemos criticar.
Continuo a dizer, está tudo muito mal, a gestão é péssima mas tanbém ninguém se revolta o suficiente para tentar mnudar o que está mal.

ψ Psimento ψ disse...

Olá, eu admito que também não vejo luz ao fundo do túnel para Portugal. Eu, além dos motivos pessoais tenho muitos outros motivos para abandonar Portugal no fim do meu curso. E como eu, tenho visto dezenas de amigos e colegas que deixam este pais “desenvolvido” para agarrarem uma oportunidade naqueles que ainda são vistos como “em desenvolvimento” mas estão muito mais capazes de ajudarem jovens licenciados a desenvolverem-se em óptimas condições… Quem perde é o Portugalito…