quinta-feira, fevereiro 4

a propósito de várias crispações

Partilhar


Sou contra qualquer iniciativa que tire ou adultere de alguma forma a liberdade de expressão. Qualquer medida que retire o direito que assiste a ter-se opinião. Qualquer tentativa de imposição ou manipulação intelectual. Mas não defendo a liberdade sem responsabilidade e sem reconhecer que ao outro também lhe assiste o mesmo direito de ter opinião, o direito ao contraditório. Se não houvesse regras que nos ajudassem a raciocinar como seres sociáveis, nada funcionaria ou a lei que prevaleceria seria a lei do mais forte. Necessitamos do senso comum, de regras simples de conduta, leis que nos conduzam e facilitem a vida em sociedade. Precisamos de manuais e directrizes que nos indiquem por onde podemos seguir e até que ponto podemos chegar. Em pleno uso da liberdade, que penso ainda possuirmos, devemos viver dentro dos direitos que nos são cedidos e com os deveres que nos são impostos. A crispação, política, jornalística, social, futebolística, qualquer que seja, seria bem menor se de manhã, ao pequeno almoço, cada um tomasse uma boa dose de juízo.


12 comentários:

ematejoca disse...

"... se de manhã, ao pequeno almoço cada um tomasse uma boa dose de juízo."

Vou seguir o seu conselho e ficava muito feliz, se todo o mundo também o fizesse.

Sandra. disse...

:))

Q giro bizinhu, logo hoje q me encriptei de manhã :)) o meu gajo foi ao armário e partiu uma garrafa de vinho, inda por cima tinto! kórrorrrrrrrrrrr! q nojo de xeiro para uma gaja limpar ainda em jejum!! mas depois do meu pequenininho almoço, acalmei lolollllll

xinhinhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuus pa tu da lua

(nb - aqui em casa n bebemos vinho, aliás, n bebemos bebidas alcoolicas - isto é só pa imaginares o nojo q senti c o xeirete do vinho: BLACKKKKKKKKKKKK)

CPrice disse...

Assino já. Andava à procura de um texto sensato sobre tudo o que leio e oiço neste país que se crispa com o que não deve e passa adiante do que lhe deveria tirar o sono.

Já encontrei!:)

abraço

Patti disse...

'Tou contigo amigo!

Altamirando Macedo disse...

Paulo, o que falta aí e aqui é uma coisinha chamada ÉTICA. Bastaria tomá-la em gotas.
Pena que a gaja Sandra não sente o perfume do vinho, principalmente um tinto Malbec ou um Shiraz.Heresia.
Abraços.

Teté disse...

Tens toda a razão! Mas, há sempre um mas, a lei do mais forte impera, sim... ;)

Beijocas e bom fim de semana!

Gi disse...

Aqui há uns anos ouvi o seguinte: "Um pai e uma mãe fazem muita falta mas o juízo ainda faz mais".

ψ Psimento ψ disse...

É como tudo, a nossa liberdade de expressão só deve terminar na altura que destroi a liberdade dos outros. Há que saber medir as palavras e as opiniões. Com Juizo ;) Nascemos com capacidade de pensar por algum motivo. Um abraço

continuando assim... disse...

e seria bom que viesse em pó!!

bj
teresa :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Pois, o problema é que o juízo em pacotes é pouco fiável. É como o chá. Ou se toma de pequenino, ou então, nem com 10 chávenas por dia se vai lá.

PB disse...

Resmas e resmas,precisa-se desses pacotes com urgência nesta altura.

Desculpa a ausência do teu canto, igualmente nos outros todos, não é por mal e em Março voltarei a emais presente na blogosfera e nos blogs que gosto. O teu é um deles, como sabes.

Aquele abraço, amigo e rival! ;)

FM disse...

Tem cotra-indicações?! (sorrisos)
Abraço.