segunda-feira, fevereiro 8

imaginem

Partilhar



Tanta inteligência, tanto poder de raciocínio lógico, e aqui estamos nós, parados, diante destes livros electrónicos que nos prendem e fascinam o olhar. Ficamos aqui, horas a fio, sentados diante destes quadros brilhantes que nos iluminam a cara e prendem a nossa atenção. Paredes invisíveis que aprisionam os nossos pensamentos, as nossas fantasias, todo o conhecimento. No gabinete, na sala, no quarto, em qualquer lugar, são milhões de pequeninas luzes coloridas que connosco comunicam. Para uns não passa de um meio de trabalho, para muitos uma companhia, para a maioria uma simples distracção. Uma fuga da realidade para quem tem uma vida triste, e para as pessoas normais uma outra normalidade, que as faz pensar e questionar. O ecrã do computador, da televisão, do telemóvel, prende-nos magnéticos como pequenos e loucos insectos, atraídos e enfeitiçados pelas luzes brilhantes, pelas imagens coloridas ao redor das quais, todos nós, todos os dias, nos reunimos e vivemos vidas que não são nossas, enquanto a nossa vida se esvai, nas sombras que produz.


5 comentários:

continuando assim... disse...

e ao ler...seja de qualquer foram, a vida nunca se esvai :)

bj
teresa

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Não creio que me deixe fascinar por isso...

Teté disse...

As formas de comunicação são diferentes, dependendo das épocas, a TV já é antiga sem feedback, os computadores, a net ou os telelés tornaram-se importantes, como meios de comunicação.

E no dia que ficamos privados deles estranhamos, sentimos-nos isolados do mundo... ;)

Beijocas!

ematejoca disse...

Concordo absolutamente com a Teté:
Sem dúvida, que as formas de comunicação são diferentes.
A comunicação com os amigos virtuais de todo o mundo é muito mais interessante do que assistir a um programa de TV, sem qualquer feedback.

HELAU!

FM disse...

Que estalo tão bem dado.
Abraço.