quinta-feira, novembro 12

gabinetêvê [12]

Partilhar


O anúncio publicitário português «Cinco Razões para não usar preservativo» foi considerado o melhor anúncio governamental europeu de prevenção da Sida num concurso internacional – dinamizado pelo governo alemão «European AIDS Video Clip Contest - Clip & Klar europe 09», segundo anunciou hoje a Coordenação Nacional para a Infecção VIH/Sida.

O júri do concurso foi constituído por um conjunto de profissionais destacados da área cinematográfica, dos média e da prevenção da infecção VIH. A entrega do prémio ao governo português teve lugar hoje em Colónia, no âmbito da Conferência Europeia de SIDA que se realiza nesta cidade alemã até dia 14 de Novembro.

O spot premiado de promoção da utilização consistente do preservativo foi exibido nas televisões portuguesas em Outubro de 2007 e conta com a participação de diversas figuras públicas nacionais: Vítor Norte, São José Correia, Pacman, Cucha Carvalheiro, Sara Prata, Rita Salema, Bruno Nogueira e Alberto Quaresma. O anúncio vai agora voltar a ser exibido.

Fonte: Ciência Hoje





8 comentários:

Sunshine disse...

lá .... faxabôre

:)

pena que a mensagem ainda não "entre" na vida de todos/as ...

haveria mais VIDA, mas tempo para a VIVER em pleno e com consciência ...

I said Yes!!

Alguém cala a boca a esse "pateta" ??

Bjinhosss

Teté disse...

Muito bom, mesmo! Porque há mensagens que devem ser transmitidas com autenticidade, mesmo que custem a digerir...

Beijocas!

Sandra. disse...

:))

Tá xlente mesmo :)

xinhinhuuuuuuuuuuuuuuus pa tu da lua

nb - I said YES

mjf disse...

Olá!
Lembro-me desse anuncio, e o achar excelente, pois mexia com as pessoas...

Beijocas

Gi disse...

é um verdadeiro exercício de SIDAdania este género de anúncios.


PS.: Hás-de ir ver na SI, a resposta ao teu teste. ;)

PB disse...

Está excelente o anúncio!
Abraço

Kok disse...

Está óptimo!
Só não vê (entende, percebe) quem não quer!

Abraço, pah!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Pena que lá por fora dêem mais valor ao que se faz por cá, do que nós próprios.