segunda-feira, setembro 28

e agora xôr ingenheiro?

Partilhar



Há um novo quadro político em Portugal com uma clara fragmentação das cores partidárias. Os poucos portugueses que foram votar, votaram e decidiram penalizar o Governo de José Sócrates, mas também não confiaram na alternativa do programa do PSD, o maior partido da oposição.

O PS venceu! Foi o partido mais votado mas perdeu a sua maioria absoluta. Houve uma clara penalização do Governo. A política da governação socialista, associada a um agravamento da crise económica e ao aparecimento tardio ou mesmo nulo de muitas das medidas de combate anti-crise foram factores decisivos neste resultado. Agora fica a questão: Como vai governar e com quem?

Manuela Ferreira Leite quis apresentar um programa sintético, tão sintético que disse poder ser apresentado numa folha A4. A sua recente vitória nas eleições Europeias, abria naturais expectativas para estas eleições, no entanto a sua campanha pareceu não convencer. Pode-se ironicamente dizer que os eleitores lhe fizeram a folha e assim é carta fora do baralho. O facto de ter ultrapassado o resultado de Santana Lopes nas últimas legislativas pode-se considerar uma vitória moral.

Tendo em conta a votação obtida pelo CDS do PP, poder-se-á colocar a questão da governabilidade, tema que vai dominar as atenções e abrir espaço a novas discussões nos próximos tempos. Quantas portas se irão fechar a um possível entendimento para uma futura coligação governamental e consequente maioria parlamentar?

Iremos ver o que vale este reforço do Bloco. Com este resultado histórico obtido pelo partido, Francisco Louçã obriga o PS a tirar as devidas ilações, provocar em alguns sectores socialistas a tentação de retornar à esquerda e assim abrir espaço a novas discussões e entendimentos parlamentares.

Com o resultado obtido ontem, a CDU consolida-se e aumenta o número de deputados, o que já é um significativo argumento para Jerónimo de Sousa manter a sua posição e importante estímulo para a próxima legislatura, mesmo que tenha caído para o quinto partido mais votado.

Resumindo e concluindo, como sempre, todos ganharam! E nós, o que ganharemos?

9 comentários:

Altamirando Macedo disse...

Oi! Paulo,
Pareces resolvido politicamente e inserido no teu contexto. Parabéns.
Respondendo tua pergunta; Ganharão o mesmo que nós por termos políticas iguais.

Em tempo, me diga de lá, o que é faxabôre?
Bem postado...

Patti disse...

A ver vamos. Qt ao louçã, engoliu um sapo do tamanho de uma Porta!

mjf disse...

Olá!
Nós ganhamos...mais uns anitos a apertar o cinto:=((((

Beijocas
Boa semana

Gi disse...

Nós ganhamos aquilo que merecemos.

FM disse...

Concordo com a Gi.
A culpa dos resultados é de quem vota e não vota, somos nós quem escolhe. Queixemo-nos de nós.
Por outro lado, cheira-me que teremos o País parado mais 2 anos... Isto depois de, bem ou menos bem, ter avançado 4 numa conjectura de crise mundial.
Sócrates vai ser bonzinho... e queixinhas, como é óbvio. Para quem sobrará a factura? Para Cavaco Silva, o grande derrotado destas eleições.
Abraço.

Teté disse...

Agora parece-me que o xôr inginheiro vai ter muitas dores de cabeça pela frente nos próximos tempos! E a malta vai deitar politiquices pelos olhos, pois as intrigalhadas entre eles vão ser maiores e mais constantes. Mas é esperar para ver... ;)

Mas isso só há-de começar mais a sério depois das próximas autárquicas, que até lá vão andar todos entretidos com outras campanhas.

Beijocas!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Todos, é como quem diz...o PSD não tem grandes razões para cantar vitória.

Vani disse...

Todos ganharam, todos perderam. E o mexilhão vai lixar-se enquanto os galos andarem à bulha pelo poleiro...

PB disse...

Só no futebol é que não pode ser assim! Lol
Quanto aos resultados eleitorais, acho que a vitória inequívoca foi do CDS-PP, que foi quem ficou mais satisfeito com os resultados!