quarta-feira, outubro 29

ponto de vista

Partilhar

Quantos de nós costumamos julgar os outros só pelas aparências, mesmo sabendo que poderemos estar muito enganados? Quando essas aparências não são do nosso agrado, acabamos quase sempre por "marcar" a pessoa e nos prevenir contra as suas acções e atitudes, quaisquer que elas sejam!

Por nós, ou por terceiros, passamos a vida a ser julgados. Do que os outros pensam, mesmo aqueles que não me conhecem de parte nenhuma, tem para mim alguma importância. Não oriento a minha vida por padrões alheios, mas pelos valores em que acredito, no entanto é evidente que gosto e procuro sempre deixar uma boa impressão de mim. E penso que todos também devem gostar! É bem mais fácil sermos os juízes dos outros, é mesmo muito fácil cairmos na tentação de apontar o dedo, mesmo não tendo o cuidado de, inconscientemente, já termos cometido os mesmos erros. É claro que fico preocupado com o que possam vir a pensar de mim! Sou eu quem mais me julga! Evidentemente gostava de levar uma vida sem erros, humilhações e desapontamentos mas já passei por essas situações e a aprendi algo com elas! Nunca agradei e nem sempre irei agradar a todos, e já fico contente em não desapontar de quem de mim tem mais apreço. Nunca gostei, nem foi meu feitio, meter-me na vida alheia, mas como humano e animal sociável, sei que isso é quase impossível e algumas vezes acabo também por comentar, julgar ou condenar terceiros. Mesmo em conversas temos sempre tendência em dizer bem ou mal dos outros, mas não gosto de o fazer mesmo sabendo que por vezes é um recurso a ter em conta. Não vivemos sozinhos, não trabalhamos sozinhos, não estamos sozinhos e devemos olhar como semelhantes. Gosto de dar a minha opinião e para que seja um julgador justo é essencial para mim ser conhecedor de todos os dados em causa. É sempre bom saber ouvir as opiniões dos outros, mesmo as diferentes das nossas! Bem ou mal falem de mim, dirão alguns. Também o digo se o fizerem cara a cara, com possibilidade de defesa de argumentos, sinceridade, e influência positiva.

Concluindo, antes de criticar, julgar e condenar uma pessoa, devemos colocar-nos no seu lugar, entender os seus sentimentos, confrontar ideias e compreender que cada um tem o seu próprio ponto de vista.


12 comentários:

Vekiki disse...

Tens razão...a aparência, infelizmente, ainda é o ponto de partida para muitas relações e não-relações. Parvoíce, pura e dura!

ines disse...

Tiro o chapéu, a este teu post! Utilizo muito a expressão "cada um sabe de si e Deus sabe de todos"
Sei que não é linear, mas, por detrás de cada um há uma vida! Muitas vezes de tal maneira castigada que nos deixa triste, "azedos", sem sorriso, sem brilho!

E esta musica logo de manhã... Um beijo grande para vocês

Patti disse...

Uns mais, outros menos, mas todos incorrem nesse erro.

Ka disse...

lá, ó faxabôre...

correndo o risco da monotonia de comentários meus este post está muito bom! Tento ter a mente aberta e nunca julgar ninguém mas é um bocdo como a Patti diz, mais tarde ou mais cedo todos acabamos por fazê-lo...no mínimo deveremos sempre pôr-nos no lugar da outra pessoa.

Beijinho

vsuzano disse...

a gente por vezes julga..... somos humanos.... e depois lá temos que dar a mão à palmatória..... hehehehe



bom fim de semana

Tó disse...

Nós os "latinos" temos esta mania,e os Portugueses em particular...falar dos outros,e de preferência "mal" faz parte da nossa cultura.Se qualquer um de nós fizer uma intróspecção(palavra cara!!)verá que afinal não é uma excepção (e rima).

Pelo menos tu tens uma vantagem, a 1ª a 2ª a 3ª impressão que as pessoas têm de ti, mesmo não te conhecendo, é sempre boa (gostas-te da graxa???)

Abraço
Tó (Mano)

FM disse...

Concordo plenamente... Mas infelizmente não é assim que as coisas acontecem na verdade, na realidade, mas há que continuar a tentar...
Abraço.

Pedro Barata disse...

Plenamente de acordo.

Um abraço Paulo

Gi disse...

Todos nós, incorremos neste erro.
Muitas vezes, caimos em nós e conseguimos emendar a mão.

Paulo Tomás Neves disse...

«viva quem luta
com a cabeça ao contrário
p´ra ver também
um pouco do lado do adversário
do lado contrário
»
__________________________

O rei vai nú

Não sei de imagem
que o tempo não destrua
não sei de ti
se atravessas a rua
vem ter comigo
sempre que for preciso
fala com a voz
fala com o choro
fala com o riso
diz o que é preciso

Viva quem vive
com a cabeça aperrada
e dispara bala
contra o medo apontado
viva quem luta
com a cabeça ao contrário
p´ra ver também
um pouco do lado do adversário
do lado contrário

E viva o dia
em que já não precisas
de reis nem gurus em frases-chave nem divisas
o dia
em que já não precisas
de reis nem papás
nem profetas nem profetisas

Ei,ei que é do rei
o rei foi-se, o rei vai nu
ei, ei, viva eu, viva tu

Não sei de imagem
que o amor não persiga
não sei de ti
se não fores minha amiga
faz o que queres
que se queres é preciso
faz o melhor
fá-lo com loucura
e com juízo
faz o que é preciso

Viva quem muda
sem ter medo do escuro
o desconhecido
é o irmão do futuro
viva quem ama
com o coração aos saltos
e mesmo assim vence
os seus altos e baixos
e os altos dos seus sobressaltos

E viva o dia
em que já não precisas
de reis nem gurus
nem frases-chave nem divisas
o dia
em que já não precisas
de reis nem papás
nem profetas nem profetisas

Ei, ei que é do rei
o rei foi-se, o rei vai nu
ei, ei, viva eu, viva tu

Sérgio Godinho

(pode ouvir-se, num dueto entre o Sérgio e a Xana, dos Rádio Macau, no site da UPA, e aproveitando para dar um donativo pode ser descarregada)
__________________________

Abraço e bom fim-de-semana

mariam disse...

excelente! Paulo. nada acrescento__ :)

Pedro Barata disse...

De acordo, claro!!!
Um abraço