segunda-feira, dezembro 5

traga o conversor ó faxabôre

Partilhar



Não sou economista e não tenho pretensões a velho do Restelo, mas... o Euro está por um fio. Começo a acreditar que o Euro, tal como ele é, terá chegado ao fim da linha! Uma moeda única entre países de economias heterogéneas, com diferenças políticas, financeiras, sociais e culturais tão grandes, tinha todos os condimentos para dar num mau cozinhado. Este descomunal desequilíbrio económico e consequentes perdas competitivas dos países mais vulneráveis causa desemprego e recessão, contagiando as economias mais resistentes com grande rapidez. Os sinais de desagregação são cada vez mais evidentes. Já não restam dúvidas que o processo de unificação entrou numa estrada sem saída. É cada vez mais provável a ruptura da zona do euro. Parece iminente o fracasso europeu. Agora a Europa está a sentir na pele a impossibilidade real das suas utopias ao tentar construir um governo a partir de estados extremamente desiguais. Será certamente uma abordagem muito pessimista da crise, o que me leva a crer que, apesar da situação, o povo europeu não abandonará a sua utopia colectiva de ânimo leve. Não será caso para tanto mas, pelo andar da carruagem…


(clicar na imagem para aumentar)

os desenhos de Henrique Monteiro


2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Até admito que o Euro não acabe ( embora me custe a acreditar...), mas do que não tenho dúvidas é que se não acabar vamos pagar um preço elevadíssimo nos próximos anos. E não sei se ganharemos alguma coisa com isso...

Teté disse...

Olha, dê por onde der, suponho que não será fácil de ultrapassar! Raios! :P