segunda-feira, julho 12

e como é ao metro, ó faxabôre?...

Partilhar



Praticamente desde o seu início que sou adepto e “sócio” do Metro do Porto. Este magnífico meio de transporte urbano tem conseguido uma adesão significativa de toda a gente tripeira e não só. Foi uma autêntica revolução na modernização do serviço de transportes urbanos na Cidade Invicta. Permite de forma mais rápida, cómoda, sem filas de trânsito nem semáforos a empatar, a mobilidade aos seus utentes dentro e fora da cidade. No que me diz respeito, veio transformar a minha vida quotidiana para bem melhor, e permitiu libertar-me da sedentariedade do automóvel. Assim, um passageiro que faça uma viagem esporádica compra o Andante, um cartão de papel azul com chip lá dentro, e carrega-o com as viagens que desejar efectuar. Para um “sócio”, como eu, que utiliza o metro com bastante regularidade, compensa de sobremaneira ter o Andante Gold, um cartão de plástico que permite um número ilimitado de viagens durante um mês e pode ser carregado numa qualquer caixa multibanco. Este sistema é intermodal e pode ser usado noutras transportadoras da Área Metropolitana do Porto, como os autocarros e o comboio, podendo o utente manter o cartão guardado na carteira ou no bolso, bastando unicamente passá-lo em frente ao scanner para validar a viagem.



Eu sei que é. Continuo a ouvir amiúde comentários de como é giro, rápido e funcional, no entanto continua a ter os seus senãos. A escassez de linhas é um deles. Por outro lado, para um turista que não está habituado a utilizar o famoso Andante, algumas instruções deveriam ser mais claras sobre o que é, como funciona, as zonas e os preços praticados. Mas, pelo que tenho visto, quem tem boca vai a Roma..., neste caso à Boavista, e depois serve aqui o experiente para esclarecer quem estiver à nora. E mesmo assim, aqui o experiente, acaba também por ser vítima do sistema. Esta manhã, apresentei-me à hora do costume na estação de Metro para a minha primeira viagem do dia. Saco do cartãozinho dourado e nicles, a maquineta ignorou-o por completo. Experimentei-o em todas as máquinas existentes e nada, nem sequer uma reacção negativa recusando o dito (um bip-bip com luzinha vermelha) obtive. Passaram um, dois, três veículos e eu ali a fazer figurinha parva de um lado para o outro a barafustar com a vida. Sabendo que correria o risco de ser multado forte e feio (95€ é dose), enchi-me de razão e meti-me no metro até a Trindade sem validar a viagem. Tive sorte e andei lesto até à loja do Andante para reclamar veementemente. Derretido pelos olhos da menina que me atendeu sai de lá com 5 euros a menos na carteira, um Andante novo e a justificação que a síncope do velhinho Andante foi por cansaço e limite de idade, “pois, se o seu Andante tem quase 6 anos!”. Estranhei, pois se o tive sempre preservado numa saqueta de plástico, sem qualquer contacto físico ou qualquer possibilidade de contágio, como poderia expirar assim, tão de repente! Tudo bem, espero, ó menos, que essa pequena nota azul sirva, de alguma forma, para ajudar a aliviar os défices de exploração da empresa.


8 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A primeira vez que andei de Metro no Porto vi-me à nora para perceber como funcionava o Andante, mas uma simpática funcionária veio tirar-me de apuros.

ψ Psimento ψ disse...

Olá…
Estou profundamente chocado com o facto de estares satisfeito com o metro do Porto….
Considero a PIOR rede de meto alguma vez inventada e olha que já vi bastantes. É caro mais caro que o metro de Barcelona ou de Paris imagine-se…
É Lento, o mais lento do mundo provavelmente porque decidiram faze-lo maioritariamente à superfície e como tal perdeu toda a velocidade que teria se fosse subterrâneo. Tem regras idiotas que só dá vontade de quebrar como quando me chamaram a atenção por estar a beber uma garrafinha de água. As informações sobre as linhas, as zonas de viagem e tudo o mais são extremamente confusas para os idosos ou para os turistas. Enfim faria um post tão grande como o teu só com as coisas que não gosto. Preferia o tempo dos comboios e autocarros… e é com pena que muitas vezes prefiro usar o carro a ir de metro… Abraço

Sandra. disse...

:))

Oix bizinhu

Já conta com 6 anos o metro?? bolaaas!!!

eu sou dakelas q faz viagens esporádicas, tenho os andantes azuis, e olha q já os tenho desde q o metro xigou, vai daí a minha estranheza pois os andantes inda tão em tão bom estado...kistranho!
E eu sou dakelas q sempre q entra numa estação primeiramente procura uma farda q a possa ajudar, segundamente vai de encontro a alguem, q pracasu té hoje inda n dei com ninguem antipático, pedir ajuda :)) Mas já q tu percebes tanto do bixu, quando eu tiver q utiliza lo pracasu n keres ser meu guia?? LOL

besuuuuuuuuuuuuuus bizinhu

nb - n concordo em nada com o psimento, em nada mesmo. Nunca entendi mui bem o pk de se criticar aquilo q se tem!

Gi disse...

O meu passe só dá para 6 anos, será que o teu já não tinha expirado e não deste por isso?

paulofski disse...

Olá Psi. Se estou satisfeito é porque estou mesmo satisfeito e sei perfeitamente que como eu muita gente também está. Não vou rebater os teus argumentos aqui, só vou ampliar os meus. Para além do Metro do Porto só conheço o de Lisboa e, como tal, não me parece conveniente fazer comparações desnecessárias. Como outro qualquer sistema de transportes tem aspectos positivos e negativos e, sabendo a dificuldade de mobilidade na nossa cidade, o Metro tem trazido qualidade de vida a muita população residente e não só. Como sabes o Metro no Porto é ainda muito recente e sei que tem bastantes falhas: corre demasiado à superfície, é vítima do desvio de fundos e dos cortes governamentais, e tal e tal… Não serve a todos, é certo, e nem todos se servem dele, mas deviam. E já se nota algum descongestionamento de popós, poluição ambiental e sonora no centro da cidade. Apenas alguns exemplos pessoais: O meu Andante Gold custa 23€ e atendendo ao que ando fica muito barato. De casa ao trabalho (centro da cidade) levo cerca de 25min. (10 a pé, 5 de metro e 10 de autocarro) quando antes demorava mais tempo só à procura de estacionamento. De Gaia ao Hosp. de S. João então nem falo no tempo e dinheiro que se ganha. Agora chego ao Dragão 20 min. antes do jogo, sem stress nem aborrecimentos onde deixar o carro. Como disse, o principal senão é a falta de linhas que cubram mais zonas da cidade, mas para isso já sabemos que o governo central terá de investir e não continuar a desviar fundos para regiões já bem servidas. A minha resposta ao teu comentário já vai longa, mas deixa-me só dizer-te que o que me deixa mais preocupado é a situação deficitária que a empresa atravessa e apesar de a utilização dos transportes públicos na Área Metropolitana do Porto ter crescido mais de 10% nos últimos anos o apoio do Estado continua a ser muito reduzido.

ψ Psimento ψ disse...

Não vou mais continuar o assunto. Só tenho a dizer que são opiniões e valem o que valem. Respeito a vossa, peço o mesmo pela minha.

@ Sandra :) os problemas do mundo são frequentemente esses, não entender o outro e considerar as nossas opiniões como sendo sempre as válidas :)

paulofski disse...

Tanto a tua opinião como todas as outras são aqui respeitadas Psi, e em nada mesmo nada me chocou.


Abraços

FM disse...

Já andei de Metro em alguns Países Europeus e, por incrível que pareça, aquele em que não sei andar é precisamente o da minha cidade, mais ainda quando tenho o Metro à porta de casa. Irónico, não!?
Abraço.