sexta-feira, maio 28

revelações "musculinas"

Partilhar



Sem querer, mas dando-me já bem conta disso, a partir de certa altura notei que a obesidade e a ferrugem iam moldando o meu corpo… Ok, pronto, pesavam na minha consciência, e o mais difícil nem era convencer-me que se quisesse sentir-me mais forte e saudável teria que adoptar um estilo de vida mais livre e ousado. Ao início pensava que aquilo não era para mim, nunca fui de fazer grandes esforços, mas a barriguinha proeminente e a balança foram me convencendo. A custo aceitei o desafio e fui experimentar um ginásio, mas só experimentar não fosse logo me arrepender à primeira dorzita. Já antes, num pequeno devaneio, tinha gasto uns euritos na compra de uma bicicleta para umas pedaladas esporádicas, a ritmo de turista, mas com um chorrilho de desculpas esfarrapadas ia deixando que as aranhas a enchessem de teias…

Bem, da inscrição às dores musculares não foram necessárias muitas flexões. E eu, ali, à frente de toda aquela gente, não podia dar o braço a torcer para não fazer uma figurinha triste! Desajeitado, eu!? Nãããã… Tá bem melga, como se a minha imagem reflectida nos espelhos não me deixasse assustado só de ver os esgares de esforço que fazia para tentar levantar uns míseros dez quilitos. O levantamento de copos seria bem mais interessante, eu sei, mas continuei a ir lá. Quem disse que ir ao ginásio é uma seca não sabe o que perde, e participar numa aula de grupo na fila ao fundo da sala têm-se uma visão alargada e priveligiada das coisas. Já aqui havia dissertado sobre o comportamento das mulheres no ginásio (foi por isso que decidi “repostar” o post) mas hoje é a vez de falar de nós, os homens. Só não sei bem o que dizer pois confesso que não os observo atentamente. Apenas me restringirei a três tipos: os stalones, os esforçados e os reformados.

Alguns fulanos devem praticamente viver no ginásio. Quando lá chego estão por ali em larga maioria, e quando de lá saio, de exercícios feitos e banho tomado, por lá ficam em amena cavaqueira e sem pinga de suor nos fatos de treino. Os reformados adoram água. Acho que se não fossem eles as aulas de hidroginástica nem existiam. E conseguir uma vaga no jacuzzi em hora de ponta, já é uma sorte! Para eles, a definição de pedalar é o movimento curto e espaçado das perninhas enquanto olham para as têvês, para os fazer passar tempo. Outros mais joviais vão estando por ali a tirar medidas a tudo quanto mexe.

Mas o grupo que domina as salas são os esforçados, e é nesses que eu me incluo. Muitos são gordos, alguns magrelas, outros assim-assim, e esforçam-se por lá ir pois não deve ser apenas a consciência que a isso os obriga! Os principiantes topam-se logo. De papel na mão à procura da máquina programada, tentam impressionar, mas enquanto caminham uns quinze minutinhos, depressa percebem que a vida pode andar para trás porque já lhes falta o ar, e ainda vão precisar das pernas para sair dali. Disfarçadamente diminuem a intensidade dos exercícios e distraem a vista com alguma coisa mais interessante. Outros, de peito feito e costas tortas, dão a entender que percebem bastante da poda e circulam mais do que suam. Procuram deitar os olhos a uma mocinha bem apessoada que esteja de rabo empinado ou a exercitar os peitorais. Depois de muito esforço, meses e meses de exercício, alguns resultados tornam-se visíveis. Do espelho já não tiram os olhos e sorriem ao verem aqueles músculos totalmente desconhecidos até então! Depois aquilo torna-se uma rotina. A malta vai, sua aquilo que tem de suar, e depois volta à vidinha.

Os que mais parecem saídos de um dos filmes do Rambo até metem dó. O que será que os leva a fazer aquilo ao próprio corpo! Chegam a ter tanto de largura como de altura, e alguns até caminham de pernas abertas! Adoram encher as barras de grandes rodelas e depois, naquela posição duvidos do levantamento de pesos, urram tão alto que até parece que estaão a sofrer de prisão de ventre. E eu cá tenho sempre a tendência de manter-me bem longe deles, não vá algum descuidar-se. Para além das mariquices que tomam e vestem, para dar aquele ar musculado ainda mais imponente, isso deve ser mais para se impressionarem uns aos outros do que propriamente para impressionarem as miúdas. Até dá para desconfiar do alto cariz exibicionista do comportamento entre eles. Digo isto porque se entusiasmam tanto com a máquina de exercitar os glúteos que, ao vê-los parados a admirar as nádegas um dos outros, faz-me alguma confusão!

E pronto, já chega de revelações “musculinas”. Tranquilizem-se que não me esqueci de satisfazer a grande curiosidade do mulherio. O cheiro de um balneário masculino é característico, é assim tipo um must de fragrâncias dos mais intensos sovacos misturadas com Patchouli's e variados. Quanto ao resto nada a acrescentar. Mas se estão realmente interessadas em saber o que se passa no balneário dos homens, estejam à vontade mas tenham cuidado ao abrir... clicar nessa porta.



E é claro que se quero continuar a usufruir dos bons prazeres da mesa terei de complementar a minha ida ao ginásio com umas boas caminhadas e pedaladas aos fins-de-semana.

Bom fim-de-semana.


9 comentários:

Patti disse...

E fizeste tu muito bem. Há imensas actividades hoje em dia nos ginásios, para todos os gostos.
Também acho horrível (e pouco saudável?) aqueles corpos exageradamente musculados, aprece que se os furarmos com um alfinete, rebentam. Esses devem ser os que trabalham para seguranças nocturnos e coisas do tipo.
Será? ou é mesmo maluqueira?

Boas e felizes musculações...q.b. :))))))))))

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Um dia destes ainda me convences a ir ao ginásio...
Bom fds

Gi disse...

Olha, digo-te eu que vou ao ginásio há 7 anos: não feches a boca, que tudo o resto não te serve de nada. :D

Rafeiro Perfumado disse...

Da última vez que frequentei um espaço desses até me assustava com os urros que alguns insuflados davam ao fazerem os exercícios. Nitidamente o meu espaço não é ali...

Abraço!

Kok disse...

Eu gosto de caminhar, correr, comer e beber, (entre outros actividades que também pratico).
Ginásio "uso" mas só no inverno.
Manias...!
Mas prezo muito os meus músculos e não gosto de os exibir. Tanto assim é que nem um único está à vista!

Vani disse...

Mas, mas, mas, agora já tens personal trainers e tudo! ^_^ podes ir ao ginásio sem sair de casa! ^_^

e sem tomar testosterona ou outros anabolizantes...

Teté disse...

Credo! Bem-vinda está mal escrito no cartaz... :D

Também estou convencida que esse tipo Rambo convence poucas mulheres. Dá-me ideia que passa mais por um narcisismo exacerbado. Mas pronto, se querem apreciar os glúteos uns dos outros, who cares? :)

paulofski disse...

Também acho que é mais fogo de vista Patti. Fogem a sete pés se um rato passar à frente deles.

E sempre é uma ideia Carlos para umas quantas e boas crónicas.

Ó Gi, mas para beber água deve servir, não?!

Rafeiro, deve ser por isso que passei a alinhar mais nas aulas de bodybalance! E não foi só a monitora que me motivou.

És mesmo cheio de manias Kok, com tantas penas a tapar os músculos pá!

Vani, se ainda fosse uma personal training sem testosterona era capaz de aceitar entregas ao dimocilio

Tété, foi propositado o cartaz, a literacia não é o melhor deles e depois "Bem-Vinda" não caberia no cartaz.

Já agora se quiserem pregar uma partidinha a alguém basta acrescentar um nome no fim do endereço:

http://gabrielmanzano.com.br/souseufan.swf?name=

Boa semana a todos

Sandra. disse...

:))

Bizinhu, dixa me te dezer cacabei de descobrir q o ginásio n desenvolve o "bixinhu" :)) é có é impressão minha ó o gajo q tá por troces dessa porta segura o "bixinhu" com dois dedinhos ihihihihi

Ahhhhhhh e n curto gajos musculados...tssssssssssss

besuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuus