quinta-feira, janeiro 7

o zé do boné

Partilhar

Um dia, de mão dada com o meu pai, entrei pela primeira vez e tomei o meu lugar nas bancadas de pedra do Estádio das Antas. Fiquei encantado e seduzido ainda antes do pontapé de saída. A bola é de colectivos esplendorosos e de solteiros e casados. É redonda para uns e quadrada para outros. É paixão e ciúme, mulher cuidadosa ou amante obsessiva. É glória e tristeza, é de pobres e ricos, entrega-se a quem a toma. A bola nem sempre é justa, agiganta povos, desfaz corações. É vício, doença, cólera. É amor e ódio, mas pode ser de paz. A bola é… o que cada um quiser.

Carinhosamente apelidado de o Zé do boné, uma espécie de fetiche que nunca abandonou, foi o treinador que marcou a viragem de mentalidade no Futebol Clube do Porto, estando na génese do actual espírito que é imagem de marca do clube. Era um homem de rupturas, sem meios termos e, de palavras inteiras. Zé Maria Pedroto é um gigante sagrado do panteão azul e branco que merece ser recordado pelo seu papel vital na ascensão meteórica do Futebol Clube do Porto, que levou a nossa equipa a assumir o topo do futebol nacional e a projectar-se como a equipa portuguesa mais titulada internacionalmente.

Passam hoje 25 anos que deixam saudade.




6 comentários:

Sandra. disse...

:))

Grandagajo memo :) sódades desses tempos, dóbir gritar "PEDROTO PEDROTO, BIBA O PEDROTO! :))

Desde quenininha q ouço dizer q no FCP trabalha se duro, n há baldas...e hoje digo te q cada vez me convenço mais, se é q é possivel, q realmente nunka menganaram, n há baldas mesmo.

xinhinhuuuuuuuuuus pa tu da lua

Si disse...

É um símbolo eterno do FCP.
Nem acredito que já passaram 25 anos sobre a sua morte...!

CPrice disse...

.. eu que não gosto de futebol, pouco percebo de técnicas, passes e posições, não sei sequer os nomes dos jogadores do meu clube .. adorei este teu texto, Paulo.
Bonita homenagem.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

se me permites, acrescentava apenas um ponto a esta bela homenagem que prestas ao Mestre. Mudou a mentalidade do FC Porto e mudou a forma de ver e organizar o futebol em Portugal.

Tó disse...

O Homem que consegui "Vergar" os Mouros....Obrigado Pedroto.

Gi disse...

Muito sinceramente: não gostava nada dele, quando o ouvia.
Aliás, para te ser franca, não gosto de nenhum dirigente português (seja ele desportivo ou à frente de um partido ou da Nação).
Sou mesmo muito anarquista.