sexta-feira, junho 5

num ambiente...

Partilhar

... agradável, enquanto dormia o sono dos justos, numa destas noites eu tive um daqueles sonhos que, evidentemente, nunca se tornarão realidade. Sonhei que bem lá num futuro mais que perfeito, os automóveis estariam extintos pela escassez de hidrocarbonetos e a superfície da terra só seria calcada por rodas de bicicletas. Alguns carros, autocarros e camiões ficariam expostos em museus como relíquias do passado, memórias de um tempo carbonizado pelos óxidos e nós, de rabos sentados nos selins, com pés nos pedais e mãos no guiador, pedalaríamos felizes para sempre. Estão a pensar que estou a delirar, pois estou. É inegável a minha simpatia pelas bicicletas, máquina desengonçada que se estiver parada destrambelha-se no chão como um albatroz em terra, mas que ao impulso dos pedais se projecta esguia, veloz e silenciosa. É uma máquina do tempo, que está ali, pronta para quem quiser levantar-se mais cedo e experimentar a liberdade. Só quem faz, ou já o fez um dia, conhece a boa sensação de acordar antes do sol numa manhã de domingo, comer bem, vestir-se, calibrar os pneus da bicicleta e sair para umas longas pedaladas, respirar aquele ar tão puro e fino antes das emanações poluentes dos veículos motorizados cujos donos aquela hora provavelmente ainda dormem, de ressaca, preguiça, cansaço ou tédio. É um silêncio diferente, que só as manhãs de domingo têm, por as ruas se encontrarem quase vazias, num efeito de viajem ao passado, no espaço de uma época ou lugar onde não se vê a loucura, gritaria, individualismo e desrespeito. Acreditem sinceramente, não é só por isso tudo que tive esse sonho, mas pelo conveniente pretexto da bicicleta ser amiga do meio ambiente, de me proporcionar saúde e bem estar físico, pelo poder de me transportar em curtos espaços de tempo, a pequenos recantos de um paraíso que de outra forma não os teria desvendado. E o paraíso em questão não é só o lugar que encanta após umas curvas ou pelo subida ao cume de uma montanha, é a sensação única de a ter conquistado, com o próprio suor.




12 comentários:

Teté disse...

Ó faxavor, e quem se monta em cima de uma bicicleta, não consegue impulsionar devidamente os pedais, dá dois sinuosos SSS no asfalto e acaba por se projectar no chão, tal e qual o dito albatroz???

"Sonhos" desses não são para qualquer um... aliás, um dos últimos valeu-me um pé torcido! :)))
(é verdade, só que já foi há 20 anos ou coisa, já dá para rir!)

Beijinhos!

Gi disse...

Também gosto de bicicleta, mas prefiro bem mais andar a pé.
Quanto à rapariga da foto, ela só desfeia a máquina.

Esterilização Obrigatória disse...

Qual é o Rafeiro ? esta é uma pergunta que está no nosso blogue para responderes, será que vais assertar.
http://esterilizacao-o.blogspot.com/

NUC disse...

Andar de bicicleta é uma actividade saudável, excepto quando envolve quedas (falo por experiencia própria, olhando para a cicatriz no braço da operação resultante da queda que dei de bicicleta).

Comentando agora a foto da menina, acho muito estranha a escolha do calçado para quem vai andar de bicicleta, já quando ao resto da indumentária, nada contra. :)

maria inês disse...

Oube lá, isto foto que se ponha no blog? E eu a pensar que os passeios eram higiénicos e com o filhote!!!

DANTE disse...

Bem...a bicicleta até nem é má de todo... lollllllllllllllllllllll

Um abraço

mjf disse...

Olá!
Não vejo muito vontade na mocinha de ir pedalar...com aqueles sapatos:=((

Beijocas
Bom fim de semana

Marko Rebelo disse...

q imagem espectacular :) já ganhei o dia hehehe :)

paulofski disse...

Na melhor das hipóteses Teté compra-se um triciclo, ou então aquelas bicicletas de dois lugares, onde se divide o esforço da pedalada.

Beijinhos


Achas Gigi ou será que a máquina é que não tem pedalada para a rapariga!


Isso não sei Esterilização, mas eu tive-os no sítio quando três os rafeiros corriam atrás de mim e eu a pedalar feito um desalmado para que não me dessem uma dentada nos calcanhares.


Já que o dizes NUC nem tinha reparado no calçado da moçoila! Quanto às quedas eu tenho um longo historial, até foste testemunha da minha mais recente queda de queixos, lembras-te?


Eu não lhes chamaria higiénicos ó Maria Inês, ontem mesmo cheguei todo sujo e molhado a casa.


Qual Dante, a de baixo ou a de cima?


Hummm, Mjf não tenho certeza se é o calçado ou se é do selim!

Beijocas


Aqui há dias assim, Marko Rebelo. Volta sempre.

maria inês disse...

Ainda esta moça???? a fazer-nos inveja com este corpinho de Cinderela?

mariam disse...

Paulo,

formidável esse sonho! mas ainda teríamos que 'suar as estopinhas' em certas cidades! Lisboa e suas belas colinas rsrsrs

a rapariga é 'gira' e deve ser uma 'acrobata-equilibrista' de pedais rsrs

um abraço e o meu sorriso :)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Também gosto de andar de bicla, mas prefiro andar a pé. E gostava que o teu sonho, que é igual ao meu, um dia se concrtizasse. Enquanto eu for vivo, claro...