quinta-feira, fevereiro 19

quase

Partilhar

Henry Cartier-Bresson

Amanheço aqui, entre papéis, semi-encerrado num envelope sem coisas lá dentro, com um postal por escrever. Lá, por fora dos vidros, imagino a minha vida. Aqui, imagino-me sempre a tentar, sempre com a mania de vir a ser. Caducado. Uma sensação estranha de nunca ser, de nunca estar. Fotocópia de fotocópia, dobrada em quatro, que circulou por muitas mãos e por muitos olhos. Papel químico dos dias que passam, sempre os mesmos. Numa ideia do que faço disto, procuro partilhar pequenas insignificâncias dos dias, alguém com quem sorrir, de vez em quando. Coisas simples e vulgares que nos tornam cúmplices. Não querer acertar com receio de magoar, a pedir ajuda com os olhos, a desviar a conversa. Quase contar tudo, mesmo os pensamentos mais secretos, mesmo aqueles que coram faces e nos descai o olhar na procura de algo perdido para pontapear e desviar a atenção. Um balão vazio perdido entre papéis. Rasgo o envelope, encho de ar o balão, que foge como um farrapo de nuvem à deriva num pedaço de céu, e rabisco umas letras no postal.
Uma vontade. Ter alguém com quem passear de bicicleta, percorrer todas as ruas e escolher as mais bonitas paragens.
Um sentimento. Na verdade não me sinto adulto.



8 comentários:

Si disse...

E quem de nós não gosta da criança que ainda irrompe pelo envelope fora, cheia de sarrabiscos nas mãos, de tanto querer pintar a vida com as cores do arco-íris??

Gi disse...

És um adulto preso a uma criança.

Carla disse...

...na verdade também não me sinto adulta! E é tão bom perder-me entre papéis e deixar voar os sonhos no ar que deposito num balão colorido...e depois passear por entre as memórias, com a recordação de quem nos faz estremecer
beijos

DANTE disse...

Ainda bem que não te sentes adulto Paulofski. Agora vai lá comprar uma bicicleta pah! lollll

Um abraço

mjf disse...

Olá!
Eu sou mesmo ainda bébé ;=)
Nasci ontem...( há alguns anos)
eheheheh

Beijocas

inês disse...

Os dias de adulto são tão cansativos, como eu gosto de ser esta criança!

Um beijo grande, daqueles que as crianças dão para vocês

Sunshine disse...

Tb eu vivo afogada em papéis, chego ao fim do dia e não me lembro de ser "eu" de tão cansada e "caducada".

Uma vontade .... de fugir

Uma bjoka (faz-me bem ler-te)

Rafeiro Perfumado disse...

E quem é que se quer sentir adulto? O verdadeiro Homem é aquele que em adulto conserva um coração de criança.

Abraço!