terça-feira, novembro 18

identidade

Partilhar

(outra foto de minha autoria)

Das coisas mais importantes que possuímos e que nos é dada à nascença, ou mesmo antes disso, o que nos define para toda a vida e nos dá a nossa identidade, é o nome. Próprio, amado, ignorado, odiado, porque não foi escolhido por nós, é o nome que define a nossa personalidade, que nos faz ser pessoas. Identifique-se? Fulano de tal! A identidade é um nome igual a tantos outros, o nosso maior bem, a palavra com que nos chamam e que não é propriedade privada. Pseudónimo, artístico, "nick", ai tão giro, profissional ou alcunha, o nome tem um dono. Eu tenho quatro, dois próprios e outros dois de família. Dessa forma foi inventado, baptizado, apelidado. Um dia esquecido.

Eu gosto do meu nome, Dos dois próprios escolhi um e não sou muito de apelidos. Se há algo que me atormenta é quando, regularmente, me esqueço do nome de pessoas com quem me relaciono, tanto a nível profissional como social. Ainda ontem um conhecido cruzou-se comigo na rua e, para além de mal o ter reconhecido à primeira vista, não é que não havia maneira de me lembrar do nome dele! Tive que me desdobrar em conversas, desconversas e amabilidades para que não desse conta do meu lapso de memória. Acho que deveriamos ter reservada uma memória específica no nosso cérebro só para guardar nomes, no entanto a minha já está quase esgotada. Também pudera, quem foi o(a) iluminado(a) que deu o nome de Antímio a um filho! Outra coisa que me faz tremer as orelhas é quando me chamam de “pssssst”, “oh pá” ou “jovem”! Obrigadinho pelo elogio, oh pá!



19 comentários:

FM disse...

Concordo em absoluto.
Abraço.
(andas a escrever cada vez melhor. parabéns)

FM disse...

Um dia destes escreves um livro... (risos)
Nunca se sabe, nunca se sabe...
Abraço.

Patti disse...

Também raramente me esqueço de um nome.

Mas o pior que me podem chamar, o que vale é que é um hábito que se foi perdendo é: oh coisinha!

paulofski disse...

Eu, escrever um livro! Oh Francisco já escrevi muitos, registos vários, de cheques, recibos verdes...

Faremos os possíveis e impossíveis para dia 24 assistir ao lançamento do teu Livro do Ano.

Abraço.

paulofski disse...

Patti, depende da "coisinha" que me chama :)

Ka disse...

lá, ó faxabôre...
hmmm...é que de repente não me lembro do teu nome....loool

Eu nunca esqueço uma cara e esqeço-me imenso de nomes :S
Ainda pro cima tenho um problema acrescido, sou muito mas muito parecida com a minha irmã mais velha o que nso origina situações cómicas pois vêm pessoas cumprimentar-me e não faço a mais pálida ideia quem são :S

Beijinho

ps - Ó Patti mas quem é que te anda a chamar coisinha?!?!?!?!

Gi disse...

Como te chamas? Para eu não me esquecer do nome. ;)

paulofski disse...

Hummm... não te lembras Ka? Fui ao BDK deixar o meu cartão de apresentação :) looool

Beijinho

paulofski disse...

ski, Paulofski ;)

Rafeiro Perfumado disse...

Tens toda a razão, pá. De vez em quando dá-me coisas como a ti, jove, converso e converso a ver se me lembro do nome da pessoa e nada! Mas ó coiso, podemos sempre recorrer ao velho truque de apresentar essa pessoa a outra, e assim elas trocam as identidades!

Percebeste, gaijo?

Abraço!

paulofski disse...

Percebi-te, e assim eles também percebem!

Abraço

liamaral disse...

É muito dificil me esquecer de um rosto, mas nomes realmente não são o meu forte!
:) Beijinho

LeniB disse...

e que tal Alpídio??
Já me aconteceu variadíssimas vezes não me recordar do nome da pessoa que tenho à minha frente. Há alturas em que digo um nome qualquer e depois olha...seja o que a pessoa quiser entender.
Só um acrescento: nunca responda a "pssst" nem a assobiadelas, nem ó pás, mas jovem senhora...ahahahahah...que tentação!!!
bjs

paulofski disse...

Lili, pois eu nem caras nem nomes, dá-me uma branca daquelas!

Beijinho

paulofski disse...

Oh Lenib e Alpídio não é nome de doença das alfaces!? Quando não lhes sei os nomes, às vezes trato-os todos por Zé, pelo menos há uma forte probabilidade de acertar :)

Beijinho

mariam disse...

Ai, Paulo,
pois... também me esqueço... tantas-vezes... e pior piorzinho mesmo é quando o(a) intorlocutor(a) desata a perguntar p'los nossos filhos, designando seus nomes, gracinhas deles em pequenos... parecendo conhecer-nos tão bem!!!! "chiça" e eu... então e os teus??? teus é vago ... resposta pronta, queres dizer tua?? está uma mulher... blablabla...só penso... pronto! uma mulher... logo estou já a ficar um pouquinho senil, desmemoriada... logo isto é natural, logo isto é uma treta -- eu tinha mas é que me lembrar!!!!
a minha última angústia foi na fila da WC da Aula Magna, onde uma digna senhora me "espeta" dois beijo, me dá parabéns porque viu minha filha no palco e fala comigo como se tivessemos estado de véspera... não consegui lembrar o seu nome nem de onde a conhecia... rsrs

por nome "fixe", este nunca me esquecerei, foi-me apresentado assim: "Sr Caganita", vendedor de caprinos... Paulo foi mesmo verdade! a custo não ri no seu compenetrado ar apertando-me a mão!
pensei,bom,deve ser alcunha, por vender gado... pois não senhor era mesmo Caganita de sobrenome!

LOL

ainda está a ler?? !!
sorry o alongamento... mas este tema perturba-me um pouco... LOL

ah! e não sou poetisa são só desabafos d'alma... obrigada!

mariam disse...

ah! e esqueci. adorei a fotografia! parabéns! :)

FM disse...

Lá conteremos convosco, com prazer.
Ãbraço.

Pedro Barata disse...

Gostei deste post, oh pah...!

Abraço