quinta-feira, novembro 20

conto

Partilhar

No meio de tantas letras havia um sujeito muito composto, perdidamente apaixonado por uma vírgula vaidosa que quase nunca se aproximava dele. Ele desejava-a tanto, tanto, que passava o texto todo a irradiar o seu charme. Musculava até a primeira letra para atrair a vistosa mas o pronome possessivo não ia na conversa e dava ordens aos verbos para a colocar no meio da frase. A cada parágrafo que se passava ele ficava ainda mais encantado com as curvas da vírgula. Ficava ali quietinho, discretamente inexistente, na esperança vã de ela passar por perto. A sua sílaba mais tónica não se conteve e revelou tudo aos adjectivos. Logo a eles, esses invejosos! Reuniram-se com os substantivos, com os advérbios de modo e os verbos. Não queriam que o sujeito tivesse direito à companhia da vírgula. Chamaram de todos os nomes ao sujeito e à vírgula colocaram-lhe o ponto em sobreposição. Os ciúmes, ai o ciúmes, corroía-lhes o sentido de tão obsessivos, que juntos reclamaram com o autor. Só que, infelizmente para eles, o conto tem momentos de amor e felicidade. O autor desta vez escreve um romance! A vírgula, mesmo no meio da frase, já há muito tinha percebido os sinais do sujeito e cada vez mais tinha interesse por ele. Já não suportava os ciúmes dos seus amigos, mas uma grande amizade é para sempre, e como tal queria manter o contexto com os adjectivos, com os verbos e as restantes palavras. Adorava brincar com eles e, com eles, queria continuar a ser feliz, os seus amigos é que teriam de se sujeitar à sua vontade, ao seu romance, e ponto final.


8 comentários:

Patti disse...

Giríssimo Paulo, também gosto de fazer histórias em que brinco com pontuações e letras e as vírgulas são as minhas preferidas.
Por isso te digo, cuidado com elas, abusam muitas vezes e aparecem quando não devem e doutras vezes temos de as ir buscar, à força, pela ponta.

Mas o perigo maior é mesmo a sua abundância.

:D

Vekiki disse...

Lindo Paulo!!! As tuas palavras e a imagem que escolheste :-)
Tem um bom dia, cheio de palavras e vírgulas ;-)

Paula Crespo disse...

E não é que as vírgulas e os pontos também te visitaram?!... ;) Mas estas trouxeram a família toda e os amigos, num cortejo digno de casamento... ;);)Não há dúvida, estamos sob o signo da vírgula!
Muito bom!
Bjs

Rafeiro Perfumado disse...

O texto está excelente, Paulofski, mas estava sempre à espera de quando é que aparecia o pedido de resgate. É que aquelas letras iniciais... ;)

Abraço!

Gi disse...

Quem conta um conto acrescenta-lhe uma vírgula.

Feitiozinho disse...

Lá está aquele sorriso pateta que teima em aparecer depois de se ler uma coisa tão simples mas com tanta força :D

Pessoalmente prefiro os pontos de exclamação, acho que dão mais animo às coisas :)

Sunshine disse...

Que ternura ...

Um bom, fim, de, semana

Beijinho . e ,

LeniB disse...

Brincar com a pontuação é sempre algo que me diverte.
Gostei bastante deste teu texto.
bjs