quarta-feira, julho 29

bordado a carinho

Partilhar

(A velhinha máquina de costura da avó Nanda)

Largou no chão a boneca e fantasias de gente pequena. Ficou especada observando a avó que bordava num pano de algodão. Os seus olhos arregalados mal conseguiam acompanhar os rápidos movimentos da máquina de costura que desenhava e atravessava o pano, ponto por ponto, num emaranhado de cores e linhas soltas. O que estás a fazer avó? Estou a bordar um paninho meu amor, gostas? E porque fazes isso? A avó senta a netinha nos seus joelhos. Sabes minha querida, eu faço estes desenhos para dar alguma alegria a este pano liso, como tu que me dás cor à vida sempre que estás comigo. Perplexa, escutou as palavras da avó deixando a cabecinha acenar aos seus doces afectos. Bordei lençóis para anjos, fronhas de muitas cores, cobertas e cobertores. Este paninho vai ser um lençol, terá o teu nome e te aquecerá os sonhos, todas as noites, como os que fiz para o teu papá.

A vida também pode ser um bordado colorido num pano imaculado. Os anos passam, ficam sérios e brancos como panos de linho onde a arte e o carinho surgem coloridos, alegres e plenos de felicidade no sorriso dos netos.



11 comentários:

Gi disse...

Eu tive lençóis bordados à mão pela minha mãe.
O meu marido também teve lençóis borados à mão pela mãe dele; esses passaram para os meus filhos.

Ainda hoje guardo sacos de pão (meu e do meu irmão) bordados com os emblemas do Benfica e do Sporting, respectivamente. ;)

Vício disse...

se não for em exagero.
por vezes o colorido pode tornar algo inutil...

Si disse...

A Vóvó Nanda é sábia, muito sábia.... como todos os avós, de resto...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Também tive lençóis bordados à mão, mas pela minha mãe e mais tarde pela minha irmã. E também ainda guardo umas toalhas de mesa bordadas pela minha irmã. Feitas à mão ou com uma máquina de costura Oliva. Por razões ´obvias...
As avós continuam a ser sábias no seu discurso.

liamaral disse...

Que delicía!! Também assisto a esse tipo de amor incondicional puro dos meus pais com a minha sobrinha! É maravilhoso!
:) Beijinho

Tó (Mano) disse...

As coisas feitas com amor, são intemporais, e eu sei que mais tarde, quando os netos abrirem o Baú que terão lá num canto de casa, e virem os bordados da Avó, vão lembrar-se de todo o amor que a Avó punha naquelas linhas...

Beijo Mãe

Sandra. disse...

:))

Bordados q me tivessem feito propositadamente para mim foi a minha sogra q fez, mas em compensação tenho um montão de outras coisas q me deram, pessoais e guardadas, principalmente na minha caixinha brumelha :))

Parabens à tua mamy :))

xinhinhus pa tu da lua

Teté disse...

Suponho que há tradições que se vão perdendo... mas fica o amor que muitas mulheres puseram nessas "pequenas" recordações de família, que ficaram nessas rendas e bordados... :)

Beijocas!

Rafeiro Perfumado disse...

E a netinha sempre que via a avó com agulha e linha não fugia, temendo que ela a quisesse bordar?

Ka disse...

lá, ó faxabôre...

A minha avó fez-me alguns que guardo com imenso carinho :)
Beijinho

ps - já agora permite-me um apontamento á gi :D e o saco do pão do FCP não tinhas???????

Gata Verde disse...

Tenho verdadeiras reliquias na minha arca de enxoval bordadas pelas mãos da minha cotinha!
;)
beijos